19 novembro 2010

Nada se faz Sozinho


Já trabalhei por muito tempo em uma companhia aérea brasileira e a primeira coisa que vem na cabeça, quando se fala em avião, é o Piloto e depois a Aeromoça. Pilotos com o seu quepe, os terno com as suas faixas douradas nas mangas e seu belo óculos escuros, andando junto com a sua grossa e quadrada maleta, ao lado de belíssimas aeromoças, com redinhas no cabelo, maquiagem impecável, salto alto, um verdadeiro desfile pela passarela aeroportuária. Para a visão de uma criança, devem achar que são só, esses dois profissionais que trabalham em uma empresa aérea. Porém muito adultos, também tem essa certeza e não fazem a mínima idéia que exista o


Setor de Reserva,

Lojas de Passagens,

Setor de Atendimento Especial (Menor desacompanhado, idosos, passageiros com dificuldade de locomoção),

Setor de Check-in,

Setor de Check-out,

Controle de Despacho de Passageiros (onde eu trabalhei),

Equipe de Embarque e Desembarque,

Setor de Conexão de Passageiros,

Departamento Operacional de Vôos (planeja as rotas de vôos

Departamento Operacional (Agenda os tripulantes)

Setor de Balanceamento (Calcula o peso da aeronave, para decolagem, pouso e vôo)

Equipe de Manutenção: Eletrônica/Elétrica, Aviônica, Mecânica, Peças

Setor de Achados e Perdidos (Bagagens extraviadas e objetos esquecido à bordo)

Coordenação de Vôos

Equipe de Carregamento de Carga (e bagagens)

Equipe de Comissaria (Serviço de bordo)

Equipe de Limpeza

Equipe de Rampa (Máquinas que auxiliam o avião, como caminhão-escada, Tratores de Push-Back, Gerador de força, etc)

Equipe de Abastecimento de Combustível

Centro de Processamento de Dados


Isso em uma companhia aérea. Depois de tudo isso, vem o:


Controle de Tráfego (Autoriza e orienta a rota de vôo)

Controle de Solo (Direciona todo o tráfego da pista para o pátio, e vice-versa)

Torre de Controle (Auxilia o piloto na decolagem e pouso)

Comando Geral de Vôos (Aeronáutica)

SINDACTA

CENIPA

(E outros órgão militares, que não lembro)

Equipe de Apoio em Solo

Equipe de Emergência (Ambulâncias e Bombeiros)

OBS: Esses são os serviços essenciais para efetuar um vôo.


Nada, nada, precisam de cerca de 200 profissionais, para que o piloto e as aeromoças, possam executar o belíssimo trabalho de oferecer total segurança e conforto. Tenho certeza que eles tem uma enorme responsabilidade, quando estão dentro do avião. Mas não podemos esquecer que: O PILOTO, não DECOLA, não POUSA, não EMBARCA e não VOA SOZINHO.


E você, no seu local de trabalho. Já olhou em volta, quantas pessoas te auxiliam para você poder fazer um bom trabalho? Não pense que só você é uma Estrela. Se todos capricharem a sua parte, todos saem ganhando. Se alguém falhar TODOS perdem.


Pense nisso!!





3 comentários:

Michelle disse...

É interessante pensar que, mesmo vivendo em sociedade, onde presumidamente ninguém é ou faz algo sozinho, as pessoas tendem a ser cada dia mais individualistas, esquecendo que são pequenas parcelas de um todo. Em uma comparação esdrúxula, uma pizza pode ser dividida em 8 ou em 4 fatias, mas ainda assim, na sua essência, continua sendo uma pizza, independente de em quantos pedaços seja dividida. Acredito que a vida em sociedade deveria ser encarada da mesma maneira: todos somos 1 pedaço de um todo. Em essência, somos individualizados, mas todos viemos de um lugar comum - do todo e dele dependemos. Se falta um pedaço, a pizza é incompleta e não cumpre a sua função de servir 8 ou 4 pedaços. Assim é a vida: quando uma parte do todo no qual vc se insere falta, o resto sofre. E infelizmente, a maioria só é reconhecida nestas horas. Por isso, não esperemos que a falta nos faça perceber que cada um tem um papel fundamental na vida familiar, profissional, etc. Respeitar espaços e saber reconhecer erros e acertos é um grande passo para ter sempre presente o título do seu texto... nada se faz nada sozinho.

Alexandre Tatsuya Iida disse...

Olá Michelle

Obrigado pelo se comentário. Infelizmente vivemos em uma sociedade que alguns são mais reconhecidos que os outros. Desde um cantor, um médico, um chef de cozinha, o atacante do time, enfim. A imprensa que deveria ter o poder de influenciar os leitores, focam apenas em um. Por isso, muitos podem ficar descontentes.

Michelle disse...

Vc tem toda razão! A facilidade de acesso aos meios midiáticos nem sempre tem conseqüências boas, por assim dizer. Ao invés de se valer da imparcialidade ou de comentários que demonstrem todas as faces das situações, muitas vezes (e por interesses diferentes), se escolhe um dos lados e ponto final, o resto não importa mais. É errado, com certeza, não dar valor a quem fica nos "bastidores". Se o cidadão é a estrela principal, com certeza, alguém trabalhou para que isso acontecesse, ele não conseguiu sozinho. Falta lembrar a ele que se ninguém abrir as cortinas, nenhum espetáculo começa.